top of page
Buscar
  • Pedro Barros

Créditos de Carbono no Mercado Voluntário: Além das Aparências




No contexto brasileiro do mercado voluntário de créditos de carbono, uma máxima popular se faz especialmente pertinente: "nem tudo o que reluz é ouro". Observa-se um crescimento expressivo de projetos classificados como créditos de carbono, cuja substância e eficácia na compensação ou remoção de CO2 da atmosfera frequentemente não correspondem às expectativas iniciais. Esta proliferação abrange desde a preservação ambiental até a implementação de tecnologias de análise via satélite, sugerindo uma diversidade que, em muitos casos, não se traduz em qualidade ou efetividade e mesmo geração de créditos de carbono propriamente ditos.

Desafios na Validação dos Créditos de Carbono

A realidade do mercado revela a existência de projetos carentes de mecanismos de segurança adequados, fundos garantidores para cobertura de riscos de reversão de carbono para a atmosfera, metodologias validadas mediante consulta pública, profissionais especializados na elaboração de projetos, auditorias independentes e entidades certificadoras que acompanhem de perto o processo de geração de créditos, com a realização de uma supervisão ativa de todo o processo de certificação.

A prática de empresas ou organizações autointituladas "certificadoras de carbono" assumirem integralmente a responsabilidade pela elaboração de serviços dentro do processo de certificação ou parte deles, resulta em um evidente conflito de interesses, prejudicando a transparência e a confiabilidade do mercado, brasileiro e internacional.

Blockchain: Inovação ou Ilusão?

A aplicação da tecnologia blockchain, embora apresentada como uma solução moderna para a certificação de créditos de carbono, muitas vezes peca pela falta de adoção de procedimentos padronizados e o alinhamento com práticas globalmente aceitas. Esta estratégia, apesar de parecer avançada, frequentemente falha em prover a necessária validação e confiabilidade, exemplificando a facilidade com que as aparências podem ser enganosas na avaliação da validade das iniciativas de redução ou captura de carbono.

Na Lux Carbon Standard são gerados tokens quando da certificação dos créditos, contudo, além de cada token significar um crédito registrado; na LuxCS cada um deles espelha e registra todas as etapas de um projeto. O que aumenta a transparência e a integralidade dos créditos gerados dentro do padrão Triple C.

Critérios para a Legitimidade dos Créditos de Carbono

É imperativo distinguir entre os projetos que meramente se apresentam como créditos e aqueles que efetivamente atendem aos critérios fundamentais para sua Validação e Verificação. Um crédito de carbono autêntico no mercado voluntário deve ser sustentado por salvaguardas sólidas, metodologias validadas, equipe qualificada, auditorias independentes e certificação realizada por entidades reconhecidas e que sigam a melhores práticas reconhecidas internacionalmente.

A Importância de uma Avaliação Criteriosa

Uma análise superficial do que seja todo o processo para geração de um crédito de carbono como ativo financeiro, obscurece a essência real das iniciativas no mercado voluntário. Assim, torna-se crucial uma abordagem cuidadosa e crítica na avaliação desses projetos, assegurando que apenas aqueles que cumpram os mais elevados padrões de integridade sejam reconhecidos como ativos financeiros comercializáveis. Através de um escrutínio meticuloso, podemos garantir que os esforços empreendidos na compensação das emissões de gases do efeito estufa e na remoção de CO2 sejam verdadeiramente eficazes e contribuam de forma significativa para a sustentabilidade do nosso planeta e ser uma das ferramentas mais efetivas para combater os males da emergência climática que se avizinha.

80 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page